Estatuto Editorial

1. “Notícias Arcoenses” é um projecto de informação em sintonia com o processo de mudanças tecnológicas e de civilização no espaço público contemporâneo. Este suporte de informação inscreve-se numa tradição que é o jornalismo exigente e de qualidade, recusando o sensacionalismo e a exploração mercantil da matéria informativa.

De publicação periódica generalista, pluralista, orientado por critérios de rigor e criatividade editorial, sem qualquer dependência de ordem ideológica, política e económica, tem como objectivo fundamental assegurar a todos os leitores o direito à Informação. Aposta numa informação diversificada, abrangendo os mais variados campos de actividade e correspondendo às motivações e interesses de um público plural.

2. “Notícias Arcoenses” é um órgão de informação concebido, escrito e produzido por jornalistas profissionais, no respeito dos direitos e deveres previstos na Constituição da República, na Lei de Imprensa e no Código Deontológico dos Jornalistas.

3. “Notícias Arcoenses” distingue, muito claramente, a informação da opinião. Resermo-nos, todavia, o direito de relacionar, interpretar e imitir opinião sobre quaisquer factos os acontecimentos, sempre no respeito integral da legislação em vigor.

4. “Notícias Arcoenses” rege-se por critérios jornalísticos de Rigor e Isenção, respeitando todas as opiniões ou crenças.

5. “Notícias Arcoenses” respeitará sempre o sigilo das suas fontes de informação. Não aceitaremos, em circunstância alguma, a quebra desse sigilo.

6. “Notícias Arcoenses” rejeita o sensacionalismo. Rejeita também a informação escrita e apresentada de forma descuidada e banal, em nome de conceitos difusos de objectividade, distanciamento e gravidade que consideraremos ou pouco válidos, ou inimigos de uma informação verdadeiramente de qualidade.

7. “Notícias Arcoenses” é escrito e produzido no cumprimento das orientações e princípios definidos neste Estatuto Editorial e pela sua Direcção.

8. “Notícias Arcoenses” considera que uma sociedade informada, transparente e participativa é condição essencial para o desenvolvimento individual e colectivo, material e intelectual.